A Hora da Verdade

A Hora da Verdade no blog do Herasmo Leite

28/08/2014

Decepção! Pouco mais de 100 pessoas compareceram ao comício do candidato Edinho Lobão em Santa Helena na manhã de hoje 28-08



Na manhã desta quinta-feira, 27,  o candidato a Governador Lobão Filho, foi recebido na cidade de Santa Helena por u,a plateia de pouco mais de 100  pessoas, E os poucos insurgentes, a maioria eram curiosos.

Nem a presença de políticos das  cidades da região, para o encontro com o candidato foi notada. Isso pode demonstrar que a baixa presença de pessoas no comício podem ter sido a falta de prestigio do candidato da governadora Roseana Sarney em Santa Helena e região.


A visita do Senador e Candidato Lobão Filho a Santa Helena tinha como objetivo promover sua candidatura. Alem dele, vários candidatos como Gastão Vieira (Senado) Victor Mendes (Federal) dentre outros, estiveram em Santa Helena.
Foto: Jamil Junior 

TCE desaprova contas de ex-presidente da Câmara de Peri-Mirim





O Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA) desaprovou, em Sessão Plenária realizada nesta quarta-feira (27), as contas do ex-presidente da Câmara de Vereadores de Peri Mirim Jorge Pereira, foto,  referente ao exercícios de 2010, com débitos de R$ 49.887,76 e multas de R$ 22.588,00.
Também foram julgadas irregulares as contas de Ivaldo Castro de Carvalho, ex-presidente da da Câmara de Junco do Maranhão, exercício 2011, com débitos de R$ 6.326,77 e multas de R$ 25.701,88; e Vieras Pereira Brito, ex-presidente da Câmara de Senador Alexandre Costa, exercício de 2011, com débitos de R$ 21.100,07 e multas de R$ 23.128,00 

 Entre os prefeitos foi emitindo parecer prévio pela regularidade com ressalvas, as contas apresentadas por Raimundo Barros Moreira Santos, ex-prefeito de Porto Franco, referente a 2009, com multas de R$ 3.000,00 e Vadilson Fernandes Dias, ex-prefeito de Gonçalves Dias, referente ao exercício de 2011, com multas de R$ 40.800,00.
.As informações são do TCE

Salário mínimo previsto para 2015 será de R$ 788,06



A ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, foto,
 anunciou nesta quinta-feira (28) que o Projeto de Lei Orçamentária (Ploa) elaborado pelo governo prevê salário mínimo de R$ 788,06 a partir de 1º de janeiro de 2015. O valor representa um reajuste de 8,8% em relação aos atuais R$ 724,00.
Segundo a assessoria da ministra, o impacto do aumento do salário mínimo nas contas públicas, com o pagamento de benefícios, será de R$ 22 bilhões em 2015.
Belchior fez o anúncio após entregar o projeto da Lei Orçamentária ao presidente do Senado, Renan Calheiros. Depois de ser entregue ao Congresso, o projeto passa pela análise da Câmara e do Senado e pode sofrer alterações antes de ser aprovado.
O valor do salário mínimo é calculado com base no percentual de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do ano retrasado mais a reposição da inflação do ano anterior pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).
“O salário mínimo previsto no Orçamento para 2015, a partir de janeiro de 2015, será de R$ 788,06. É a regra que está estabelecida de valorização do salário mínimo”, disse a ministra ao deixar o gabinete do presidente do Senado.
A ministra disse que as “grandes prioridades” do projeto são as áreas de saúde, educação, combate à pobreza e infraestrutura. O prazo para que o Executivo envie sua previsão de como vai arrecadar e gastar os recursos públicos termina sempre no dia 31 de agosto, conforme determina a lei.
Belchior pediu a Calheiros uma “análise rápida” da proposta de modo que seja aprovada até o final do ano, prazo que não precisa ser cumprido obrigatoriamente pelo Congresso. Ainda assim, o presidente do Senado disse que o pedido da ministra poderá ser atendido.
“Coloquei toda a equipe do ministério do planejamento a disposição do Congresso Nacional para os esclarecimentos necessários para que o Congresso possa fazer uma análise rápida do orçamento e poder votá-lo até o final do ano, prazo com o qual o presidente do Senado confirmou que é possível fazer”, declarou Miriam Belchior.
Outros detalhes sobre a proposta orçamentária, segundo Belchior, serão dados durante coletiva de imprensa no Ministério do Planejamento em seguida.
O Congresso Nacional ainda não aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015, que deveria servir de base para a elaboração pelo Executivo da proposta orçamentária. Deputados e senadores entraram em recesso informal, chamado “recesso branco”, para poderem se dedicar à campanha eleitoral nos seus estados e só deverão retomar as atividades plenas nas casas após o segundo turno, marcado para 26 de outubro.
A Constituição Federal determina que o recesso oficial do Legislativo só poderia ocorrer se os parlamentares aprovassem a LDO até o último dia de trabalho do semestre (neste ano, 17 de julho).
Do G1, Brasília

HELICÓPTERO EM CIMA, POVO EMBAIXO


JM Cunha Santos

Do alto de seu helicóptero azul de 1 milhão de dólares, Edinho Lobão olha pra baixo e enxerga o povo que faz sofrer.

Ele vê a multidão extorquida pela alta carga tributária do país e sorri porque não paga imposto.

Ele olha para aqueles que não têm onde morar e mais uma vez sorri, lembrando o que fez com o Programa Minha Casa Minha Vida.

Ele sobrevoa os bares onde homens cansados do trabalho consomem cerveja e se assanha recordando os golpes da Bemar e da Itumar.

De tão alto, pelo vestido, percebe que a mulher que passa na direção da quitanda é uma empregada doméstica e ri às gargalhadas lembrando que se aproveitou de uma delas para enriquecer ainda mais.

Do meio das nuvens contempla as estradas esburacadas do Maranhão e confere os ganhos injustificáveis da empresa Hi-Tec, de propriedade de um irmão seu.

De tão alto, de dentro de seu helicóptero azul de 1 milhão de dólares, Edinho Lobão observa as torres não construídas da Refinaria Premium e gargalha por dentro lembrando que seu pai é o ministro das Minas e Energias do país. Vê as casas e construções vazias e acena na direção de Bacabeira para um povo que está indo embora.

Do seu helicóptero azul, de 1 milhão de dólares julga que o homem cansado que caminha na direção de um hospital que não existe pode estar com câncer e pensa em aumentar o preço de seus aluguéis para o governo do Maranhão.

Do meio das nuvens avista uma multidão de crianças sem escola e arremete pensando que precisa fazer depósitos bancários para os filhos que estudam no exterior.

Dali, do meio das nuvens, vê baldes vazios, pessoas famintas e sedentas com latas d’água na cabeça, rios, muitos rios e se pergunta porque dizem que falta água no Maranhão.

De lá de cima, de tão alto, com as pernas espichadas dentro do helicóptero azul que sua esposa exibiu no facebook, Edinho vê assaltos, homicídios, tráfico de drogas e lembra que precisa conversar com os advogados que o defendem num processo de uso de documento falso, formação de quadrilha e falsidade ideológica.

Não há de ser nada, ele pensa.

De tão alto dá pra perceber que o povo está falando, mas não dá para ouvir o povo dizendo que nele não vota de jeito nenhum.