A Hora da Verdade

A Hora da Verdade no blog do Herasmo Leite

28 de jun de 2017

Governo e movimentos sociais realizam etapa final das macrorregionais preparatórias para a 2ª Conferência Estadual de Saúde das Mulheres


Fonte: SES
Texto: Flávia Batista
Fotos: Francisco Campos/SES
27/06/17

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Secretaria de Estado da Mulher (SEMU) realizaram, em São Luís, nesta terça-feira (27), a sétima Conferência Macrorregional preparatória para a 2ª Conferência Estadual de Saúde das Mulheres. As etapas macrorregionais nas regiões de Itapecuru-Mirim, Caxias, Imperatriz, Bacabal, Pinheiro e Presidente Dutra reuniram 930 participantes, resultando na eleição de 88 delegadas.

O evento foi o último de um total de sete conferências, que têm por objetivo analisar e debater as prioridades do documento orientador e elaborar propostas para o fortalecimento dos programas e ações que podem compor a Política Estadual e Nacional de Atenção Integral da Saúde das Mulheres. Presente ao evento, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, apresentou as ações do Governo do Estado no fortalecimento da política de saúde para as mulheres.

“O que nós temos feito é incentivar uma política que de fato possa nos levar a outro patamar. Claro que não vamos conseguir isso da noite para o dia, mas para isso estamos tendo o apoio do Ministério da Saúde e da OPAs, por meio do qual temos realizado alguns projetos.  O governo pretende lançar, na Conferência da Mulher, um grande projeto chamado Rede Mãe Maranhense, no qual uma rede vai aglutinar todas as políticas com foco na saúde da mulher, com atenção à redução da mortalidade materna”, disse.

Ele também ressaltou a importância de cada organismo aproveitar da melhor forma possível os debates e diálogos oriundos da Conferência, para que seja possível, no final, propor um projeto de lei. “A gente quer que dessas Conferências saia um projeto de lei que estabeleça uma política estadual de atenção à saúde da mulher. A gente quer que esse projeto saia da conferência, com a participação de todos que estão aqui, construído por todos e que a gente possa encaminhar para Assembleia Legislativa. O objetivo é ter realmente uma política de estado e não somente uma política de governo”, explicou o secretário Carlos Lula.

A secretária adjunta de Saúde da Mulher, Susan Lucena, explicou como a SES e a SEMU tem trabalhado em parceria para garantir melhores condições de saúde para as mulheres. “Desde o início do Governo, temos trabalhado muito em parceria com a SES trazendo tanto informações sobre como as mulheres podem prevenir e enfrentar a violência. A violência é questão de saúde pública, mas também levando serviços de saúde para as mulheres, porque elas estão em primeiro lugar em casos de morte por câncer de colo de útero e mama. Então, precisamos enfrentar isso e tantas outras questões que serão levantadas nas discussões de hoje”, comentou.

As duas secretarias realizaram conferências nos territórios, que abrangem as 19 Unidades Regionais de Saúde (URS) a fim de ampliar a participação de mulheres e homens, jovens, adultos e idosos, usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), gestores, prestadores de serviços, na construção de políticas públicas na área da saúde da Mulher. A iniciativa foi vista como muito positiva por representantes de movimentos sociais ligadas à mulher. De acordo com Silvani Magali, presidente do Conselho Municipal da Condição Feminina de São Luís, o evento vem resgatar conquistas importantes alcançadas na última conferência realizada, há 31 anos.

“Essa conferência é resultado da luta das mulheres maranhenses militantes e femininas que vem discutindo e buscando diálogo com o estado, mesmo nas conjunturas mais adversas, mesmo nos momentos oligárquicos mais ferrenhos, nós nos propusemos a fazer essa história. Com esse movimento, a gente coloca na agenda da sociedade brasileira o que era invisível, que são as questões particulares da saúde das mulheres”, comentou.

Para Silvia Leite, do Fórum Maranhense de Mulheres, a Conferência será a oportunidade para trazer à tona questões relevantes da saúde feminina que ainda tem pouca repercussão na sociedade. “Nós temos situações graves no estado do Maranhão, dados triste e lamentáveis e é importante que o poder público nos chame a discutir essas questões e buscar soluções juntos.  Precisamos contribuir com essa mudança. É justamente na construção coletiva dentro do sistema que nós vamos conseguir avançar para uma mudança na positiva de saúde para as mulheres”, ressaltou.

Conferência estadual 

A 2ª Conferência Estadual de Saúde da Mulher (Cesmu) reunirá, nos dias 6 e 7 de julho, cerca de 400 mulheres, gestoras, de entidades de classe, movimentos sociais e instituições voltadas à saúde, que deliberarão sobre as diretrizes para políticas públicas e a composição da delegação maranhense à 2ª Conferência Nacional de Saúde da Mulher, em Brasília.

A conferência estadual, convocada pelo governador Flávio Dino, sob a temática “Saúde da Mulher: desafios para integralidade com equidade”, formulará diretrizes para políticas públicas, efetivando os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), como, por exemplo, a situação da saúde da mulher, do mesmo modo que as políticas públicas para as mulheres e a participação social. A conferência será realizada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) em parceria com a Secretaria de Estado da Mulher (Semu).

Nenhum comentário:

Postar um comentário